Visualizar:

▼ Postagens (251)
  • Brasil Afora: Íbis repete feito histórico e vence quatro jogos na temporada

    11

    Out
    11/10/2012 às 14h34

    Pior time do mundo' iguala recorde de 12 anos atrás, termina em 13º na
    Série A2 e escapa da queda. Artilheiro diz ter até proposta de Portugal

     

    O “Pior do Mundo” já não é mais o mesmo. Quem acompanha de perto a saga do Íbis, time pernambucano que carrega a alcunha de ser o “pior dos piores”, não acreditaria que a equipe pernambucana conseguisse surpreender os adversários. Encostado na Série A2 do Campeonato Estadual - a segunda divisão -, o Pássaro Preto não terminou a competição na última posição, evitando o rebaixamento, e ainda atingiu um feito inatingível há mais de 12 anos: venceu quatro partidas numa mesma temporada.

     

    íbis (Foto: Aldo Carneiro / Pernambuco Press)
    Apesar da derrota na última rodada, Íbis evitou a queda na Série A2 do Pernambucano
    (Foto: Aldo Carneiro / Pernambuco Press)

    Após conseguir uma vitória depois de quatro anos, o time deslanchou no campeonato e igualou a campanha de 1999, quando terminou subindo para a Primeira Divisão. Com a campanha regular de 2012 - ocupa o 13º lugar -, aquele que antes era o último dos últimos não carrega mais nem em seu escudo os dizeres de “Pior do Mundo” que o fizeram ser reconhecido internacionalmente. De acordo com o presidente da agremiação, Ozi Ramos, o folclore agora é apenas para a torcida.

     

    ozir ramos presidente do íbis (Foto: Terni Castro / GloboEsporte.com)

    Ozir Ramos é o presidente do Íbis
    (Foto: Terni Castro / GloboEsporte.com)

    - Quem trabalha aqui não está para brincadeira. Ninguém aqui joga para perder. Existe essa história (de ser o pior), e deixamos para o folclore da torcida. É melhor que continuemos ganhando. Não somos mais nem o pior de Pernambuco – comemorou o mandatário.

    Entretanto, o presidente foi surpreendido pela reação da torcida ao “novo” Íbis. Parte do público está em “crise”, dividida entre perder a alcunha tradicional de anos de derrotas para dar espaço a um Rubro-Negro diferente, “vencedor”. Um grupo de torcedores, inclusive, promoveu um “protesto” em tom de descontração em relação ao momento no certame estadual. E ganhou adeptos. É o caso de Vladimir Arruda, 45 anos. Há 15 anos é torcedor do Pássaro Preto e vai de João Pessoa para acompanhar o time no Recife. Para ele, o clube pode até ganhar uma partida, mas a saga de ser o eterno perdedor não pode acabar.

     

    Vladmir Arruda paraíbano torcedor do íbis há 15 anos (Foto: Aldo Carneiro / Pernambuco Press)

    Vladmir Arruda acompanha o time há 15 anos
    (Foto: Aldo Carneiro / Pernambuco Press)

    - Digamos que estamos numa crise boa, mas se ganhar demais não é o Íbis. Os torcedores antigos tomaram gosto pelo sofrimento. A derrota é o que nos motiva. Eu mesmo saio de João Pessoa com 99% de certeza de que vai perder. Vim a um jogo no meio do campeonato e apanhamos por 5 a 1, fiquei tranquilo. Mas depois empataram duas partidas e comecei a estranhar. Na minha opinião, tem que continuar sendo o pior time do mundo – disse, com bom humor.

    Vladimir conta que até quando trouxe seu filho para assistir ao jogo do time pernambucano já preparou o pequeno para o “pior”. E aconteceu.

    - Vim com meu filho para o jogo contra o Vitória (time de Vitória de Santo Antão) e disse a ele para se preparar para a derrota. Porém, em 30 segundos de partida, o Íbis fez o gol. Meu filho me questionou, mas eu disse a ele: “Calma.” O resultado foi que empataram e tomamos o gol da virada aos 48 do segundo tempo – relembrou, aos risos.

    Apesar de ter um grupo “torcendo” pelos infortúnios do Íbis, há quem prefira ver o Pássaro Preto alçando voos mais altos. Zé Carlos Santana, de 56 anos, acredita que a equipe deve, sim, encontrar de vez o caminho das vitórias para abandonar o fatídico posto de “Pior do Mundo”.

    - Se ganharmos é melhor, porque esses meninos que estão jogando batalham diariamente para estar aqui. Espero que continuem com as vitórias para subirem de divisão – argumentou.

     

    íbis torcida (Foto: Aldo Carneiro / Pernambuco Press)
    Apesar de pequena, Íbis também tem sua torcida fiel (Foto: Aldo Carneiro / Pernambuco Press)

     

    O fato é que o Íbis terminou a participação na Série A2 do Pernambucano de um jeito “normal” para os torcedores. Perdeu dentro de casa, no Estádio Ademir Cunha, em Paulista (Região Metropolitana do Recife), para o Sete de Setembro (de Garanhuns, Agreste Pernambucano) por 2 a 0, com direito a pênalti perdido e jogador a mais em campo. Resultado que deixa a dúvida: será que o Pássaro Preto voltará a sua sina de perder sempre? Só o tempo, o time e a torcida poderão responder.

    Marcos Costa: o técnico salvador

    Comandante do time na campanha surpreendente do Íbis no Campeonato Pernambucano da Série A2, o treinador Marcos Costa comemorou o fato de a equipe ter saído das derrotas consecutivas. O curioso é que ele conseguiu repetir o último ano de boas vitórias do Pássaro Preto numa temporada: Marcos também foi técnico do histórico time de 1999, ano da subida para a Primeira Divisão estadual.

    - Em 1999 era diferente da situação deste ano, pois fizemos uma campanha sem nenhum recurso e estrutura. Mesmo assim, conseguimos esse resultado. O Íbis ser o “pior” vale somente para a mídia, pois este ano tivemos equipes que apanharam duas vezes para a gente – atestou.

    Nininho, o “mito”, e Washington, o artilheiro

     

    nininho íbis (Foto: Aldo Carneiro / Pernambuco Press)

    Nininho virou 'mito' após marcar garantir primeira
    vitória no ano (Foto: Aldo Carneiro / PE Press)

     

    Dois personagens de destaque na “revolução” do Íbis foram o atacante Nininho e o meio-campo Washington. O primeiro ganhou a alcunha de “mito” ao marcar dois gols na partida que deu a primeira vitória depois de quatro anos de infortúnio. Aos 23 anos, ele comemora a repercussão do seu nome entre a torcida.

    - Eu curto, é legal o reconhecimento, mas mito eu não sou. Para ser mito tem que ser igual ao Pelé, que foi campeão mundial muito novo – brincou o atacante.

    Nininho, que marcou cinco gols pelo Pássaro Preto no campeonato, revela que o Íbis pode servir de vitrine para conquistar o seu maior sonho.

     

    washington íbis (Foto: Aldo Carneiro / Pernambuco Press)

    Washington foi o artilheiro do time e diz ter proposta
    de time de Portugal (Foto: Aldo Carneiro / PE Press)

    - Sou de trabalhar, batalhar pelo que quero, e agradeço aos meus companheiros também que lutam aqui, mas meu desejo é sair. Tinha o objetivo de me mostrar porque tenho sonho de jogar a primeira divisão (estadual).


    Já Washington, artilheiro do time na competição, com 11 gols, celebra o fato de seu futebol pelo clube ter cruzado as fronteiras do país. O jogador teria sido sondado sondado por uma equipe de Portugal e pode deixar o Íbis em breve.

    - O Íbis foi muito importante, porque trabalhei bastante aqui para ganhar meu espaço no futebol. O clube não revelou só a mim, mas outros companheiros, que estão recebendo propostas de times de Pernambuco. Quanto a mim, vou aguardar para que tudo dê certo.

     

     

    ''jannio torres''

  • Zico elogia Oscar, o 10 de Mano, e aprova volta de Kaká à Seleção

    11

    Out
    11/10/2012 às 10h34

    Para técnico do Iraque, que pega Brasil quinta, em Malmo, meia do Chelsea ganhará dinâmica: 'No Inter ficava 10, 15 minutos sem tocar na bola'

     

    Daquele riscado do campo, Zico entendia como poucos nos tempos de jogador. Era o cara certo na época para fazer a ligação entre o meio-campo e o ataque. Na Seleção, herdou de Rivellino a lendária camisa 10 de Pelé, de 1979 até 1986. Hoje treinador do Iraque, rival do Brasil nesta quinta-feira, em amistoso em Malmo, na Suécia, às 15h30m (de Brasília), o Galinho terá a dor de cabeça de tentar conter os dois homens de criação de Mano Menezes. Tanto Kaká, camisa 10 na Copa do Mundo da África do Sul, quanto Oscar, o 10 dos últimos amistosos e das Olimpíadas de Londres, foram confirmados no time pentacampeão. E o agora "rival" Zico é só elogios para a dupla.

    - Sempre fui favorável à volta de Kaká. Mano foi o treinador que teve maior dificuldade na Seleção. Não teve a sorte de ter uma base da última Copa do Mundo. De todos os treinadores,  foi o único que não teve legado nenhum. O de 1998 tirou um pouco para 2002. O de 2002 tirou um pouco para 2006. O de 2006 tirou um pouco para 2010... Mas de 2010 para 2014, acabou. Então, esses caras, Kaká, Robinho, Luís Fabiano, Lúcio, Maicon, Julio César, todos eles, que estavam no auge, fizeram isso... (faz um gesto com a mão de queda). E não sobrou ninguém. Ele tentou uma vez o Kaká, mas não teve continuidade. Não é fácil você perder uma espinha dorsal e ter que fazer outra. A volta do Kaká será muito boa.

    Zico e Mano Menezes, desembarque Seleção (Foto: Rafael Ribeiro / Cbf)
    Zico conversa com Mano no hotel onde Brasil e Iraque estão concentrados (Foto: Rafael Ribeiro / CBF)

    Zico lembra ainda que, da Copa de 2010, sobraram Daniel Alves, curinga não considerado titular de Dunga, Thiago Silva, reserva, e Ramires, titular mas não absoluto. Por isso, segundo o Galinho, Mano Menezes precisou fazer uma Seleção nova, de jovens.

    - Ele ainda foi beneficiado por esses garotos poderem disputar Olimpíadas, de qualquer maneira mantém uma base. Mas seleção principal é diferente, né? Você não joga eliminatórias, não vai competir e com isso fica uma interrogação.

    Oscar tem um tipo de futebol diferente: visão de campo, ótimo passe, técnica muito boa...

    A presença de Oscar como criador das jogadas de ataque ao lado de Kaká também é elogiada por Zico, que vê um futuro brilhante para o atual jogador do Chelsea, da Inglaterra.

    - Oscar é uma das revelações do atual momento do futebol brasileiro. Foi melhor para ele ir lá para fora do que para o Neymar. O Neymar já está estabilizado aqui. A ida dele para a Europa não ia mudar muita coisa. Para o Oscar pode mudar muito. Ele tem um tipo de futebol diferente. Tomara que vá bem, virá com bagagem muito grande. Tem muita qualidade, visão de campo, ótimo passe, técnica muito boa. Vai ganhar dinâmica, velocidade... Aqui, às vezes ficava ausente. Lá no Chelsea terá que participar sempre. No Inter ficava 10, 15 minutos sem tocar na bola. Não é o caso do Neymar, nem do Lucas.

    O Galinho acha que o amistoso com o Brasil será válido para o Iraque, que disputa as eliminatórias da Ásia para a Copa de 2014 e briga por uma das duas vagas do Grupo B. O Galinho só não quer que o time passe por um vexame. Depois do amistoso contra o Brasil, terá pela frente a Austrália, adversário direto.

    - É bom enfrentar esses caras, não vale nada. Para mim, é crescimento. Não estava na hora... Queria até escocês, irlandês, mais pesados. A Austrália, que a gente vai enfrentar, é um time muito pesado. Agora, Brasil é Brasil. Estou há um ano jogando contra Botswana, Serra Leoa, primeira divisão coreana, Líbano, Egito, não peguei uma seleção europeia. Agora vou pegar o Brasil logo de cara. Só não quero fazer o vexame que a China fez, pra não perder moral para o próximo jogo. Quero aprender, melhorar - disse Zico, lembrando a derrota da China para os comandados de Mano por 8 a 0.

    Kaká durante treino da seleção (Foto: Mowa Press)

    Kaká de volta à Seleção: experiência de três Copas
    do Mundo  - 2002, 2006 e 2010 (Foto: Mowa Press)

     

    Na opinião do técnico do Iraque, o Brasil só marcou o jogo contra o Iraque porque não deve ter encontrado muitos adversários, principalmente da Europa, onde começaram as eliminatórias. O Galinho acha que o amistoso contra o líder do seu grupo, o Japão, na próxima terça, na Polônia, vai ser um bom teste.

    - É a melhor seleção da Ásia, está jogando bem, veloz, com 12 jogadores no futebol europeu, e titulares. Na minha época, os jogadores estavam lá mas eram reservas. Chegavam três dias sem treinar. Era preferível não irem. Ritmo de jogo é tudo. Hoje, tem um títular do Inter, outro do Manchester, do Hamburgo... o time é forte. vai ser bom para o Brasil.

    Enfrentar o Brasil, segundo Zico, não gera mais problemas emocionais. Depois do hino, a bola rola e fica tudo zerado. O atual técnico iraquiano tenta renovar sua equipe, que tem média de idade alta, acima dos 30 anos. E quando perguntado sobre quais jogadores poderiam atuar no futebol brasileiro, nem demorou para dar nome aos bois.

    - Os jovens ainda são uma incógnita. mas dos mais velhos tem o número 5, Nashat. É típico jogador brasileiro. Tem 33 anos, enxerga tudo. O Younis, centroavante, que era do time do Juninho (Al Gharafa), foi durante dois anos o melhor jogador da Ásia, baita atacante, joga em qualquer time. Artilheiro nato. Só que eles já têm 33, 34 anos, Temos 14 jogadores nesta faixa etária. Estão na Seleção desde 2000, 2002. Estou renovando. Joguei agora contra o Japão com oito jogadores novos, sendo seis que nunca tinham atuado no primeiro time. Então, foi no peito e na raça. Eu falei: "Ou eu tomo uma goleada ou me consagro." Treinei esses caras durante 10 dias e botei-os numa condição física boa: Falei: "Vou com essa molecada." Os moleques comeram grama. Agora, falta aquela qualidade dos mais velhos. Tem que ter dois ou três. Mas se eu boto os caras tomo de cinco ou seis. Futebol agora é competitivo.

     

    Zico treino seleção do Iraque (Foto: EFE)
    Recentemente Zico quase largou o Iraque por causa de atrasos no pagamento do salário (Foto: EFE)

    O amistoso entre Brasil e Iraque terá transmissão ao vivo da TV Globo, GLOBOESPORTE.COM e SporTV às 15h30m (de Brasília)</h3>

     

    ''jannio torres''

     

  • Ceni comemora: 'Aos 39 anos, voltei a jogar em alto nível após a lesão'

    11

    Out
    11/10/2012 às 10h29

    Vinte e dois anos de carreira, muitos títulos e recordes conquistados. Aos 39 anos, Rogério Ceni voltou a sorrir. Após sofrer uma grave lesão no ombro direito no início de 2012, o camisa 1 ficou afastado por seis meses do gramado. E, a cada jogo que passa no Campeonato Brasileiro ou na Copa Sul-Americana, o capitão do São Paulo mostra que ainda tem lenha para queimar. Na noite da última quarta-feira, com pelo menos seis grandes defesas, ele foi um dos responsáveis diretos pela vitória do Tricolor sobre o Vasco por 2 a 0,  resultado que fez a equipe colar no G-4 do Campeonato Brasileiro. (Veja no vídeo acima uma das defesas do camisa 1 no jogo da última quarta)

    O sonho de mais um título brasileiro não existe mais. O desejo de jogar mais uma Libertadores em 2013 ainda faz o jogador avaliar se vale a pena ou não esticar a carreira por mais um ano. Mas, sem dúvida, o que deixa o goleiro satisfeito é poder voltar a fazer a diferença dentro das partidas a favor de sua equipe.

    - O que me deixa mais feliz é que, aos 39 anos, após sofrer uma lesão que me deixou seis meses parado, consegui voltar a jogar em alto nível. Voltei há três meses, luto a cada jogo contra um edema que tenho na coxa para estar sempre em campo. Diminuo trabalho, faço fortalecimento, tudo para poder ajudar meus companheiros. Fazer isso após tanto tempo no clube que você ama realmente é excepcional – afirmou o goleiro.

     

    Rogério Ceni em ação na partida contra o Vasco (Foto: Rubens Chiri / Site oficial SPFC)
    Rogério Ceni saiu de campo festejando uma grande atuação (Foto: Rubens Chiri / Site oficial SPFC)

     

    Questionado sobre o futuro, Ceni revelou que agora vai pensar com mais carinho que atitude tomará em 31 de dezembro.

    - Quero colocar o São Paulo em mais uma Libertadores. Todos aqui devem sempre fazer o melhor. Precisamos terminar bem 2012 antes de pensar em 2013, não importa se estarei em campo ou não. Se não estiver, quero ir embora com a sensação de que fiz o meu melhor. Agora começou outubro e tenho um trimestre para pensar no que vou fazer – disse.

    Rogério garante não estar pressionado para tomar a decisão mais importante de sua vitoriosa carreira.

    - Posso garantir que nunca estive tão tranquilo em relação a um término de contrato. Quando você é mais jovem, fica mais inseguro. Preciso estar bem, me sentir bem no fim do ano, eles precisam querer, eu preciso querer. Mas, independentemente do que vai acontecer em 2013, quero colocar o São Paulo de novo na Libertadores – finalizou.

     

    Luis Fabiano e Rogério Ceni São Paulo (Foto: Ralf Santos / Ag. Estado)
    Goleiro abraça atacante Luis Fabiano durante a partida realizada no Rio (Foto: Ralf Santos / Ag. Estado)

     

    O momento do goleiro faz elenco e comissão técnica ter apenas um desejo: sonhar com a permanência do goleiro em 2013.

    - Se dependesse apenas de mim, renovaria o contrato dele hoje. O Rogério é um atleta que voltou bem de lesão e que, no jogo contra o Vasco, fez belas defesas e evitou gols que poderiam ter mudado o resultado. Além de tudo que contribui na parte técnica, é um líder, ajuda demais fora de campo, está com a cabeça muito envolvida em tudo que acontece dentro do clube – ressaltou o técnico Ney Franco.

     

     

    ''jannio torres''

     

  • No país onde nasceu Brasil do penta, Kaká se junta ao sonho do hexa

    11

    Out
    11/10/2012 às 10h25

    Seleção encara o Iraque nesta quinta-feira, em Malmo, na Suécia. Craque do Real Madrid encontra time remodelado e empresta sua liderança

     

    De olho na Copa do Mundo de 2014, Kaká está em busca de um recomeço e a seleção brasileira à procura do bom futebol. É claro que as duas coisas estão relacionadas. Melhor ainda que tal reencontro seja na Suécia, local onde o Brasil deu o pontapé inicial em sua caminhada para se tornar o país do futebol, com o título mundial de 1958. É lá, na cidade de Malmo, que o time de Mano Menezes faz amistoso contra o Iraque de Zico, no estádio Sweedbank, nesta quinta-feira, às 15h30 (de Brasília).

    Muita coisa mudou nesses dois anos e três meses que Kaká ficou afastado da seleção brasileira. Da derrota para a Holanda nas quartas de final da Copa do Mundo de 2010 até aqui, Neymar deixou de ser promessa para virar realidade e o craque do time, Ricardo Teixeira deu lugar a José Maria Marin no comando da CBF, Mano Menezes substituiu Dunga... Mas algo que continua intacto é o prestígio do meia do Real Madrid na Seleção.

    - Vai ser legal. Espero que ele possa nos ajudar. A experiência que ele tem vai ser muito importante para a seleção brasileira. Pode nos ajudar muito - declarou Neymar, que agora tem a chance de dividir a responsabilidade e as atenções com o 'velho' companheiro.

    Kaká e Mano Menezes no treino da seleção brasileira (Foto: Mowa Press)
    Kaká vai estrear na Seleção sob o comando de Mano Menezes (Foto: Mowa Press)

    Kaká sabe disso. Mais velho do atual grupo de Mano Menezes, o meia do Real Madrid que dar à Seleção não só experiência, mas também liderança. Como diz Mano Menezes, jogadores com o status de Kaká se adaptam facilmente a qualquer grupo. Ainda mais ao time nacional, no qual já fez sucesso - o armador já disputou três Copas do Mundo. Foi campeão em 2002, na Coreia do Sul e no Japão, e caiu nas quartas de final nos Mundiais de 2006, na Alemanha, e 2010, na África do Sul.

    - Encontrei um grupo jovem, bem diferente e muito promissor. Trago agora muita experiência e vontade. Quero criar muito para aproveitar essa oportunidade. Posso dar um pouco da minha liderança para o elenco - afirmou Kaká.

    saiba mais

     

    Realmente, o grupo que o meia integra agora é bem diferente do que ele deixou lá atrás, em 2010. Dos 21 jogadores que participam desses amistosos (na terça-feira o Brasil encara o Japão, na Breslávia, na Polônia), apenas o zagueiro Thiago Silva e o volante Ramires seguem. Além de Daniel Alves, é claro. Mas o lateral-direito do Barcelona foi cortado no início da semana por conta de uma lesão muscular. O fato é que Kaká pretende se firmar nessa reformulação proposta por Mano Menezes.

     

    Kaká e Neymar no treino da seleção brasileira (Foto: Mowa Press)

    Neymar e Kaká vão atuar pela primeira vez juntos
    na seleção brasileira (Foto: Mowa Press)

    - Por sua trajetória e por sua capacidade, a situação do Kaká é diferente. Mas a Seleção é familiar para ele. Mais do que para um jogador que chega pela primeira vez. Ainda é cedo para avaliações, temos de ir com calma. Não tem necessidade de exigir dele todas as resoluções do time - opinou Mano Menezes, que vai escalar Kaká e Oscar na armação e improvisar o lateral-esquerdo Adriano na vaga de Daniel Alves.

    Se Kaká faz nesta quinta-feira um novo reencontro com a Seleção, do outro lado também tem alguém com ótima relação com o time canarinho: Zico. Técnico do Iraque, o ídolo do Flamengo enfrentará o seu país pela terceira vez. Antes, quando comandava o Japão, o Galinho perdeu duas vezes para o Brasil. Primeiro na Copa das Confederações de 2005 e depois na Copa do Mundo de 2006. Ambas na Alemanha.

    A chegada do Iraque à Suécia para o amistoso, aliás, foi surpreendente. Mais de 200 torcedores apareceram para acompanhar o desembarque dos jogadores no hotel. O time asiático, no entanto, está na 80ª colocação do ranking da Fifa. É o adversário teoricamente mais fraco do Brasil na era Mano Menezes. A Seleção, por sinal, aparece na 14ªposição, seu pior momento na história do ranking.

     

     

    ''jannio torres''

  • Tricolor desiste de seguro e receberá pagamento por Lucas só em janeiro

    10

    Out
    10/10/2012 às 17h07

    São Paulo alega que o custo por seguro é alto e que situação financeira favorável permite ao clube esperar até o início de 2013 para receber

    Lucas São Paulo (Foto: Marcos Guerra/Globoesporte.com)

    Pagamento pela venda de Lucas só chegará ao
    Tricolor em janeiro (Foto: Marcos Guerra)

    O São Paulo vai esperar até a primeira quinzena de janeiro para receber o dinheiro da negociação do meia Lucas com o Paris Saint-Germain, da França. Para receber a parte que tem direito na negociação que totalizou € 43 milhões, o clube do Morumbi teria de fazer um seguro para que o time francês fosse ressarcido em caso de algum problema com o atleta. Após examinar o processo durante dois meses, o Tricolor desistiu do processo.

    – A burocracia para realizar esse seguro é enorme, as seguradoras brasileiras não estão acostumadas com esse tipo de negócio. O custo é alto. Já estamos em outubro, a situação financeira do clube é estável e podemos aguardar até janeiro. Estou cuidando do caso e já decidimos que não faremos o seguro – afirmou o diretor financeiro do clube, Osvaldo Vieira de Abreu, em conversa com a reportagem do GLOBOESPORTE.COM.

    O vice-presidente de futebol, João Paulo de Jesus Lopes, ratificou que, apesar de o clube receber o dinheiro apenas em janeiro, o negócio já está sacramentado.

    – Quando fizemos a venda do Lucas, os dirigentes do PSG disseram que pagariam quando recebessem o atleta ou quando fizéssemos um seguro que resguardasse a equipe francesa em caso de algum imprevisto. Vamos esperar até janeiro, não há problemas – ressaltou.

    O São Paulo anunciou a venda de Lucas no dia 8 de agosto. Como não foi fixado o preço do euro, o clube do Morumbi e o atleta, que irão dividir os 100% da negociação, estão ganhando mais agora do que se tivessem recebido suas partes à vista. Naquela data, o valor da negociação era de R$ 108,3 milhões. No câmbio desta quarta-feira, por exemplo, o valor chegou a R$ 112,1 milhões. E a expectativa é de que suba ainda mais até janeiro.

    Pelo acordo firmado, o Tricolor terá direito a 75% do valor citado acima (€ 32,25 milhões), o que totaliza R$ 84,4 milhões no câmbio desta quarta. Já Lucas ficou com 25% (€ 10,75 milhões), o que corresponde a R$ 28,1 milhões. O atleta, no entanto, só receberá sua parte quando se apresentar ao novo clube, no início de 2013.

     

     

    ''jannio torres''

     

  • Barcelona vai cobrar R$ 210 milhões de Neymar se ele fechar com outro clube, diz jornal

    10

    Out
    10/10/2012 às 15h54

    Time espanhol já teria um acordo para contar com o jogador após a Copa das Confederações

     

    Neymar e Messi

    Neymar e Messi podem jogar juntos a partir de 2013, logo após a Copa das Confederações

     

     

    O Barcelona já começou a se incomodar com o surgimento do Paris Saint-Germain nas especulações em torno do atacante Neymar. De acordo com o jornal espanhol Mundo Deportivo, o clube espanhol teria um acerto tão consolidado com o craque, que incluiria uma multa de R$ 210 milhões (80 milhões de euros) que Neymar deveria pagar ao Barça em caso de desistência. 

    Segundo o Mundo Deportivo, o clube espanhol também tem um acordo com o Santos para contratar o craque após a Copa das Confederações, em julho do ano que vem, e quer fazer valer o que foi tratado.

    Veja como é a vida de Rivaldo em Angola

    Veja a gata que deixou um jogador R$ 3 mi mais pobre

    De acordo com a publicação, o Barcelona teria feito um pagamento de R$ 26 milhões ao Santos no fim do ano passado como um sinal pelo passe do jogador. O time da Vila Belmiro também estaria preso por uma multa, estipulada no dobro do sinal em caso de venda de Neymar a outro clube. Por isso, se fechar com o PSG, o Peixe terá que pagar R$ 52 milhões ao Barça.

    A multa de R$ 210 milhões que Neymar fechou com o Barcelona, segundo o Mundo Deportivo, seria uma evidência de que o jogador "está louco" para atuar ao lado Messi, Xavi e Iniesta, pois "ninguém fecharia um valor tão elevado se não estivesse muito seguro e entusiasmado" com um projeto apresentado.

    A publicação afirma que os valores somados das multas que Neymar e o Santos deveriam ao Barcelona são fatores que inviabilizam qualquer contratação do jogador por outro clube. O Mundo Deportivo diz ainda que o "mais importante" na negociação é que "Neymar quer ir para o Barcelona".

     

    ''jannio torres''

  • Cristiano Ronaldo iraquiano rouba a cena antes de amistoso do Brasil

    10

    Out
    10/10/2012 às 15h26

    Favorito da torcida, jovem Ahmed Yasin copia o estilo do craque português e sonha trocar de camisa com Neymar

    Já há torcedor perguntando por Neymar e Kaká no hotel onde a seleção brasileira ficará hospedada em Malmo, local do amistoso contra o Iraque nesta quinta-feira. Mas será difícil que a chegada deles nesta quarta faça tanto sucesso quanto à de um jogador adversário, carregado pelas ruas nas costas dos fãs. O nome dele é Ahmed Yasin, mas pode chamá-lo de Cristiano Ronaldo iraquiano.

    - Eu admiro muito o Cristiano Ronaldo pela maneira como ele joga, ele é um grande exemplo. Gosto de tentar fazer jogadas como as dele. Às vezes, elas dão certo. Mas também gosto do estilo dele, meu cabelo também é inspirado nele - diz o atacante, de 21 anos, que ganhou o apelido dos torcedores iraquianos.

    Nomes emprestados de craques não são novidade na família Yasin. O irmão mais velho, Zeid, também jogador de futebol, é mais conhecido como Zico. Tentando retomar a carreira, ele sonha ser chamado pelo verdadeiro Zico para a seleção iraquiana e ter a chance de jogar ao lado de Ahmed.

    Na Suécia, onde vivem 160 mil iraquianos, Ahmed Yasin é o favorito da torcida por dois motivos. O primeiro foi a boa atuação dele em sua primeira partida de Eliminatórias da Copa do Mundo como titular, diante do Japão, em setembro -- jogo em que atuou com a camisa 9, e não a 7 como a do ídolo português. O segundo, por Ahmed ser o único jogador da seleção que atua no futebol sueco. Ahmed joga no Örebro, cidade onde foi criado depois de sua família deixar o Iraque em meio à Guerra do Golfo quando ele tinha apenas 1 ano.

    - Sempre aparecem torcedores iraquianos para falar comigo depois dos jogos do Campeonato Sueco. Eles raramente pedem autógrafos, o que gostam mesmo é de tirar fotos. Acho que assim é mais fácil provar que encontraram realmente com você. O autógrafo pode ter sido outra pessoa quem pegou - explica o atacante, que está em busca de um clube para 2013 já que o Örebro está praticamente rebaixado.

     

    Ahmed Yasin, atacante chamado de Cristiano Ronaldo iraquiano (Foto: Divulgação / Orebro)
    Ahmed Yasin com uma tattoo inspirada em Ibrahimovic (Foto: Divulgação / Orebro)

    Apesar de acostumado a algum assédio dentro de casa, nem o próprio Ahmed poderia imaginar que acabaria carregado nos ombros da torcida na chegada a Malmo.

    - Foi muito louco. O pessoa estava bem empolgado. Esse vai ser um jogo especial, estão todos muito felizes com o jogo contra o Brasil. Sabemos que vai ser muito difícil, que eles são os favoritos, mas queremos fazer bonito.

    Além de fã de Cristiano Ronaldo, Ahmed Yasin também tem admiração por outros dois jogadores. De um deles, o sueco Zlatan Ibrahimovic, copiou a tatuagem no lado esquerdo da barriga com a mensagem em inglês "only God can judge me" ("somente Deus pode me julgar"). Do outro, o brasileiro Neymar, ele também gosta da maneira de atuar e torce para ter a chance de levar uma lembrancinha do santista no fim do jogo desta quinta.

    - Ele já é um astro do futebol mundial, um grande talento. Sei que deve ter muita gente que quer uma camisa dele. Mas, se eu estiver por perto de Neymar no fim do jogo, por que não tentar? Caso contrário, vou ficar feliz com a camisa que conseguir, seja de quem for - afirmou.

    Brasil e Iraque se enfrentam em Malmö nesta quinta-feira às 15h30m (de Brasília) com transmissão ao vivo da TV Globo e do GLOBOESPORTE.COM.

     

    Ahmed Yasin, atacante chamado de Cristiano Ronaldo iraquiano (Foto: Rafael Maranhão / Globoesporte.com)
    Ahmed Yasin, atacante chamado de Cristiano Ronaldo iraquiano (Foto: Rafael Maranhão / Globoesporte.com)

     

     

    ''jannio torres''

     

  • Higuaín diz que eleger o melhor entre Messi e CR7 é 'missão impossível'

    10

    Out
    10/10/2012 às 10h04

    Atacante argentino sente-se privilegiado por poder jogar com 'monstros'

     

    Messi e Higuain, Peru x Argentina (Foto: Agência AP)

    Messi e Higuaín: companheiros de Argentina
    (Foto: AP)

     

    - São dois monstros. É impossível escolher um deles como o melhor do mundo - sentenciou à rádio "Metro".

    A proximidade com os astros faz com que Higuaín fique em cima do muro na hora de eleger o melhor.

    - Tenho o privilégio de ser colega de equipe de Messi e Ronaldo e não gosto de fazer comparações. São dois jogadores que fazem o suficiente para serem catalogados como os melhores do mundo - concluiu.

     

     

    ''jannio torres''

     

  • Alex já tem acordo para ir para o Coritiba, diz irmão do camisa 10

    10

    Out
    10/10/2012 às 10h00

    Alexandre de Souza diz que único empecilho seria o rebaixamento do clube
    para a Série B do Campeonato Brasileiro. Presidente do Coxa nega acerto

     

     

    Alex na época do Coritiba (Foto: Divulgação/site oficial do Coritiba Foot Ball Club)

    Alex começou a carreira no Coxa e tem um carinho
    especial (Foto: Divulgação/site oficial do Coritiba)

    No meio do turbilhão de notícias sobre o provável destino do meia Alex após a saída conturbada do Fenerbahçe, o Coritiba aposta nas raízes do jogador para concretizar o seu retorno. Coxa-branca desde pequeno, quando iniciou nas categorias de base do clube, Alex planeja retornar ao Alto da Glória desde que o clube não seja rebaixado para a Série B do Campeonato Brasileiro. Quem garante é o irmão do jogador, Alexandre de Souza.

    Segundo ele, já houve um acordo com a diretoria para que o jogador fique por dois anos no Coxa. Alex é esperado pela família já no próximo sábado, em Curitiba.

    – O Alex é bem decidido. Quando coloca uma coisa na cabeça, ninguém tira. Ele se decidiu no fim do ano, mas ainda vai aguardar para acompanhar a situação do Coritiba - diz o irmão, referindo-se a um contato foi feito durante as últimas férias do meia no Brasil. - Ele chegou a fazer um acordo com o Coritiba, para quando terminasse o vínculo com o Fenerbahçe.

    Ele se decidiu no fim do ano, mas ainda vai aguardar para acompanhar a situação do Coritiba

    Confiante no retorno do irmão ao time alviverde, Souza - conhecido como Taxinha - confirma o que o Alex já havia dito: ele não volta ao futebol brasileiro para jogar a Série B - o Coxa está na 16ª posição na tabela, a cinco pontos de distância da Z-4.

    – A única coisa que ele não quer é disputar a Segunda Divisão - declarou Taxinha, afirmando que o acordo, fechando antes mesmo da saída do clube turco, era para que o meia voltasse em janeiro ou julho de 2013 (ao fim do contrato com o Fener).

    Apesar da forte concorrência de Palmeiras e Cruzeiro, que pretendem apresentar propostas financeiras sedutoras, Souza garante que o desejo de Alex é encerrar a carreira no clube do coração. Ele teria a intenção de jogar mais dois anos e então parar.

    - O negócio dele não é dinheiro, não precisa mais se decidir através de propostas boas. Agora pode seguir o coração, e ele gosta muito do Coritiba. Nós estamos bem confiantes e temos certeza de que ele estará conosco no ano que vem - afirma.

     

    Alex em visita ao Coritiba (Foto: Divulgação/site oficial do Coritiba Foot Ball Club)
    Alex costumava visitar o Coritiba nas férias europeias (Foto: Divulgação/site oficial do Coritiba Foot Ball Club)

    Pressão da família para ficar no Coritiba

    A família de Alex mora em Colombo, região metropolitana de Curitiba. Não bastasse quase todos torcem pelo Coritiba, Taxinha revela que existe uma pressão para que o jogador fique mais perto.

    - Apoiamos para que escolha o Coritiba, porque vai ser um lugar em que ele vai se sentir à vontade. Estará em casa, perto dos amigos e familiares.

    Mas há quem não faça questão de ficar tão perto de Alex. O pai do jogador prefere abrir mão do convívio com o filho para ver o time do coração reforçado. Santista doente, ele já teria aconselhado o meia a assinar com o time da Vila Belmiro, revela Taxinha.

    - Se depender dele, o Alex vai fazer parceria com o Neymar. Todas as vezes que o Alex enfrentava o Santos, ele trocava de camisa com os santistas só para dar ao meu pai. Em casa, tem um armário cheio delas.

    Sem contato com Alex na última semana

    O burburinho após a saída do Fener fez com que Alex ficasse incomunicável nos últimos dias. Taxinha diz que não consegue falar com o irmão, mas aguarda com ansiedade a sua volta.

    - Meu irmão chega no sábado. Faz uma semana que não consigo falar com ele, de tanta correria que está nos últimos dias. A intenção é matar a saudade e saber como ele está.

    Presidente do Coritiba nega acordo

    Alex durante reunião com Vilson Ribeiro de Andrade e Felipe Ximenes, do Coritiba (Foto: Divulgação / Site oficial do Coritiba)

    Um acordo foi apalavrado em junho, após reunião
    (Foto: Divulgação / Site oficial do Coritiba)

    A notícia de um acordo entre Alex e o Coritiba não convence o presidente Vilson Ribeiro de Andrade a mudar de posição. O dirigente reforça que o único contato que teve com o atleta, em julho, foi uma conversa informal. Segundo Andrade, Alex conheceu o projeto do clube como um torcedor.

    - Não nego a reunião, mas foi uma conversa informal, em que o Alex conversou e quis conhecer um pouco mais sobre o projeto do Coritiba. Eu fiz uma apresentação em vídeo e mostrei para ele. Foi uma conversa bem produtiva, na qual ele ficou de me passar algumas dicas do que acontece na Europa - diz o presidente coritibano.

    No entanto, nas conversas entre Alex e a diretoria de futebol do clube surgiram algumas indicações de jogadores com os quais o meia gostaria de atuar no próximo ano. O primeiro reforço admitido pela diretoria coxa-branca foi o atacante Deivid, que assinou um contrato de dois anos e meio.

     

     

    ''jannio torres''

     

  • Edu Gaspar faz vistoria na primeira 'casa' do Corinthians no Japão

    10

    Out
    10/10/2012 às 09h57

    Gerente de futebol visita campo de treino em Kariya, cidade vizinha a Toyota, onde o time estreia no Mundial. Ele também conheceu o estádio

     

    Edu Gaspar Corinthians, Kariya Japão (Foto: Mitsuo Kawasaki / TV Globo)

    Edu Gaspar (à esq.) e Saulo conhecem campo de

    treino no Japão (Foto: Mitsuo Kawasaki / TV Globo)

    O gerente de futebol do Corinthians, Edu Gaspar, está desde o final da última semana vistoriando os locais que abrigarão o Timão na primeira fase do Mundial de Clubes. Nesta quarta-feira pela manhã (terça à noite no Brasil), na companhia de Saulo Magalhães, supervisor do Timão, ele visitou o hotel onde a equipe ficará hospedada, em Nagoya, e também foi até Kariya, cidade próxima, onde conheceu o campo de treinos que será utilizado pela equipe comandada por Tite antes da semifinal, marcada para o dia 12 de dezembro, em Toyota (cidade vizinha a Kariya). O adversário ainda não está definido.

    Em seguida, a comitiva corintiana seguiu para o estádio de Toyota, local da estreia. Edu ficou bastante satisfeito com o palco do primeiro duelo do Timão.

    - O que mais me impressionou foi o estádio de Toyota, que é muito bonito. Os atletas vão se animar em jogar em um campo como aquele. As impressões gerais foram as melhores possíveis, fomos super bem tratados pelo comitê organizador do Mundial. Está tudo perfeito: campo de jogo, instalações de treino e hotel... Todos foram muito solícitos conosoco. Eles querem promover uma grande festa e estão se preparando muito bem para receber não sóa o time como a torcida do Corinthians - ressaltou Edu, que também se animou ao ser recepcionado por torcedores corintianos no Japão.

     

    EDU Corintihans vistoriam estádio da estréia (Foto: MItsuo Kawasaki / TV Globo)
    Corintianos e comissão visitam estádio de Toyota (Foto: MItsuo Kawasaki / TV Globo)

     

    - A quantidade de corintianos aqui no Japão me chamou a atenção. Sabemos que teremos muitos na época dos jogos, mas não sei quantos. Serão muitos vindos do Brasil, além dos que moram aqui e outros que vêm da Austrália, dos Estados Unidos e de países da Europa.

     

    Edu Gaspar Corinthians, Kariya Japão (Foto: Mitsuo Kawasaki / TV Globo)
    Local de treinos do Timão, em Kariya, deixou Edu satisfeito (Foto: Mitsuo Kawasaki / TV Globo)

     

    Depois da passagem por Toyota e Kariya, o Timão seguirá para Yokohama, palco da final e da disputa pelo terceiro lugar do Mundial, ambas as partidas marcadas para o dia 16 de dezembro. Uma das dúvidas do Corinthians sobre logística é como ir do Aeroporto de Narita até Nagoya. A distância entre as duas cidades é de 315 Km, e as opções do Timão são avião, ônibus ou trem bala.

    - Tudo o que pedimos, eles (da comissão do Mundial) se prontificaram a fazer, mas mais sobre a logística e a dinâmica de trabalho. Estamos levando alguns relatórios para o Brasil para discutir detalhes com a diretora e a nossa comissão técnica, como deslocamento. Ainda não sabemos como vamos até Nagoya - explicou Edu.

     

    Edu com torcedores do Corinthians no Japão (Foto: Kawasaki Mitsuo / TV Globo)

    Edu é recepcionado por torcedores do Corinthians
    no Japão (Foto: Kawasaki Mitsuo / TV Globo)

    Outro detalhe dos bastidores da viagem do Timão para o Mundial é a contratação de uma nutricionista e um chefe de cozinha. Os dois vão acompanhar a delegação e preparar todas as refeições. Para manter o cardápio com uma cara brasileira, a opção é recorrer aos mercados com produtos importados no Japão.

    - Com comida não teremos problemas, pois tem muito supermercado de produtos brasileiros aqui, e nosso intérprete nos ajudará a fazer as compras - acrescentou Edu.

     

    ''jannio torres''

Ver postagens anteriores

Home |  Blog Grátis |  Hospedagem HTML Grátis |  Quem somos |  Parceria |  Anuncie |  Ajuda
Trabalhe no XPG |  Política de Privacidade |  Política de Segurança |  Denúncia © 2004-2017 XPG | Siga esta corrente