Visualizar:

▼ Textos
  • Brasil Afora: Íbis repete feito histórico e vence quatro jogos na temporada

    11

    Out
    11/10/2012 às 14h34

    Pior time do mundo' iguala recorde de 12 anos atrás, termina em 13º na
    Série A2 e escapa da queda. Artilheiro diz ter até proposta de Portugal

     

    O “Pior do Mundo” já não é mais o mesmo. Quem acompanha de perto a saga do Íbis, time pernambucano que carrega a alcunha de ser o “pior dos piores”, não acreditaria que a equipe pernambucana conseguisse surpreender os adversários. Encostado na Série A2 do Campeonato Estadual - a segunda divisão -, o Pássaro Preto não terminou a competição na última posição, evitando o rebaixamento, e ainda atingiu um feito inatingível há mais de 12 anos: venceu quatro partidas numa mesma temporada.

     

    íbis (Foto: Aldo Carneiro / Pernambuco Press)
    Apesar da derrota na última rodada, Íbis evitou a queda na Série A2 do Pernambucano
    (Foto: Aldo Carneiro / Pernambuco Press)

    Após conseguir uma vitória depois de quatro anos, o time deslanchou no campeonato e igualou a campanha de 1999, quando terminou subindo para a Primeira Divisão. Com a campanha regular de 2012 - ocupa o 13º lugar -, aquele que antes era o último dos últimos não carrega mais nem em seu escudo os dizeres de “Pior do Mundo” que o fizeram ser reconhecido internacionalmente. De acordo com o presidente da agremiação, Ozi Ramos, o folclore agora é apenas para a torcida.

     

    ozir ramos presidente do íbis (Foto: Terni Castro / GloboEsporte.com)

    Ozir Ramos é o presidente do Íbis
    (Foto: Terni Castro / GloboEsporte.com)

    - Quem trabalha aqui não está para brincadeira. Ninguém aqui joga para perder. Existe essa história (de ser o pior), e deixamos para o folclore da torcida. É melhor que continuemos ganhando. Não somos mais nem o pior de Pernambuco – comemorou o mandatário.

    Entretanto, o presidente foi surpreendido pela reação da torcida ao “novo” Íbis. Parte do público está em “crise”, dividida entre perder a alcunha tradicional de anos de derrotas para dar espaço a um Rubro-Negro diferente, “vencedor”. Um grupo de torcedores, inclusive, promoveu um “protesto” em tom de descontração em relação ao momento no certame estadual. E ganhou adeptos. É o caso de Vladimir Arruda, 45 anos. Há 15 anos é torcedor do Pássaro Preto e vai de João Pessoa para acompanhar o time no Recife. Para ele, o clube pode até ganhar uma partida, mas a saga de ser o eterno perdedor não pode acabar.

     

    Vladmir Arruda paraíbano torcedor do íbis há 15 anos (Foto: Aldo Carneiro / Pernambuco Press)

    Vladmir Arruda acompanha o time há 15 anos
    (Foto: Aldo Carneiro / Pernambuco Press)

    - Digamos que estamos numa crise boa, mas se ganhar demais não é o Íbis. Os torcedores antigos tomaram gosto pelo sofrimento. A derrota é o que nos motiva. Eu mesmo saio de João Pessoa com 99% de certeza de que vai perder. Vim a um jogo no meio do campeonato e apanhamos por 5 a 1, fiquei tranquilo. Mas depois empataram duas partidas e comecei a estranhar. Na minha opinião, tem que continuar sendo o pior time do mundo – disse, com bom humor.

    Vladimir conta que até quando trouxe seu filho para assistir ao jogo do time pernambucano já preparou o pequeno para o “pior”. E aconteceu.

    - Vim com meu filho para o jogo contra o Vitória (time de Vitória de Santo Antão) e disse a ele para se preparar para a derrota. Porém, em 30 segundos de partida, o Íbis fez o gol. Meu filho me questionou, mas eu disse a ele: “Calma.” O resultado foi que empataram e tomamos o gol da virada aos 48 do segundo tempo – relembrou, aos risos.

    Apesar de ter um grupo “torcendo” pelos infortúnios do Íbis, há quem prefira ver o Pássaro Preto alçando voos mais altos. Zé Carlos Santana, de 56 anos, acredita que a equipe deve, sim, encontrar de vez o caminho das vitórias para abandonar o fatídico posto de “Pior do Mundo”.

    - Se ganharmos é melhor, porque esses meninos que estão jogando batalham diariamente para estar aqui. Espero que continuem com as vitórias para subirem de divisão – argumentou.

     

    íbis torcida (Foto: Aldo Carneiro / Pernambuco Press)
    Apesar de pequena, Íbis também tem sua torcida fiel (Foto: Aldo Carneiro / Pernambuco Press)

     

    O fato é que o Íbis terminou a participação na Série A2 do Pernambucano de um jeito “normal” para os torcedores. Perdeu dentro de casa, no Estádio Ademir Cunha, em Paulista (Região Metropolitana do Recife), para o Sete de Setembro (de Garanhuns, Agreste Pernambucano) por 2 a 0, com direito a pênalti perdido e jogador a mais em campo. Resultado que deixa a dúvida: será que o Pássaro Preto voltará a sua sina de perder sempre? Só o tempo, o time e a torcida poderão responder.

    Marcos Costa: o técnico salvador

    Comandante do time na campanha surpreendente do Íbis no Campeonato Pernambucano da Série A2, o treinador Marcos Costa comemorou o fato de a equipe ter saído das derrotas consecutivas. O curioso é que ele conseguiu repetir o último ano de boas vitórias do Pássaro Preto numa temporada: Marcos também foi técnico do histórico time de 1999, ano da subida para a Primeira Divisão estadual.

    - Em 1999 era diferente da situação deste ano, pois fizemos uma campanha sem nenhum recurso e estrutura. Mesmo assim, conseguimos esse resultado. O Íbis ser o “pior” vale somente para a mídia, pois este ano tivemos equipes que apanharam duas vezes para a gente – atestou.

    Nininho, o “mito”, e Washington, o artilheiro

     

    nininho íbis (Foto: Aldo Carneiro / Pernambuco Press)

    Nininho virou 'mito' após marcar garantir primeira
    vitória no ano (Foto: Aldo Carneiro / PE Press)

     

    Dois personagens de destaque na “revolução” do Íbis foram o atacante Nininho e o meio-campo Washington. O primeiro ganhou a alcunha de “mito” ao marcar dois gols na partida que deu a primeira vitória depois de quatro anos de infortúnio. Aos 23 anos, ele comemora a repercussão do seu nome entre a torcida.

    - Eu curto, é legal o reconhecimento, mas mito eu não sou. Para ser mito tem que ser igual ao Pelé, que foi campeão mundial muito novo – brincou o atacante.

    Nininho, que marcou cinco gols pelo Pássaro Preto no campeonato, revela que o Íbis pode servir de vitrine para conquistar o seu maior sonho.

     

    washington íbis (Foto: Aldo Carneiro / Pernambuco Press)

    Washington foi o artilheiro do time e diz ter proposta
    de time de Portugal (Foto: Aldo Carneiro / PE Press)

    - Sou de trabalhar, batalhar pelo que quero, e agradeço aos meus companheiros também que lutam aqui, mas meu desejo é sair. Tinha o objetivo de me mostrar porque tenho sonho de jogar a primeira divisão (estadual).


    Já Washington, artilheiro do time na competição, com 11 gols, celebra o fato de seu futebol pelo clube ter cruzado as fronteiras do país. O jogador teria sido sondado sondado por uma equipe de Portugal e pode deixar o Íbis em breve.

    - O Íbis foi muito importante, porque trabalhei bastante aqui para ganhar meu espaço no futebol. O clube não revelou só a mim, mas outros companheiros, que estão recebendo propostas de times de Pernambuco. Quanto a mim, vou aguardar para que tudo dê certo.

     

     

    ''jannio torres''

    Digite os números da imagem ao lado:

    Comentar
Home |  Blog Grátis |  Hospedagem HTML Grátis |  Quem somos |  Parceria |  Anuncie |  Ajuda
Trabalhe no XPG |  Política de Privacidade |  Política de Segurança |  Denúncia © 2004-2017 XPG | Siga esta corrente